sábado, 6 de setembro de 2008

Estrangeira

Vivo sempre a situação de estrangeira.
Inquieta em ficar.Na hora de fechar a casa dói ter que partir.Depois passa.
Jogo sobre a cama as roupas e com cuidado as dobro uma a uma,criando sistema de espaço.Nas frestas coloco os sapatos,nos bolsões as calcinhas,soutians,nas laterais as meias finas a caixa de perfume.
Invento roteiros claros de afeto e aventuras que bebo para me sentir doida de vida absinto de literatura abstrata.
À roda dos sonhos passa-me a viagem e caminho entre a cena sendo eu o vale indiferente,o limo da pedra que rola,o gozo de viver o presente,o sabor de ser a água fresca,o perfume de almiscar e alfazema.
A vida que invento com surpresas,acasos ,sensações me guarnece de desejos.E amo sentir tudo,alimentar as profundezas da alma na corredeira do destino.Sendo o vento a espalhar no céu
a força dos meus cabelos.
Não são os lugares que passam,sou eu na destreza silenciosa da fala,na viagem escrita.Na brancura da espuma,no murmúrio do regato,no longo trecho de estrada.
As lágrimas secam nos olhos vivos de novidades.Sempre tem quem me espera do outro lado da ponte.Há comida nova no fogão,música e lâmpada acesa.Banho de cheiro ,festa,regalos.
Alem disto o mundo,o secreto diário lacrado.Os segredos.A bagagem que me segue passo a passo.
O sono atrás das portas,lugares de pouso,casas de amigos,amor no peito partido.Tangem os sinos de todas as cidades,os campos férteis,morangos colhidos na relva.O espírito à frente do corpo.
Chego antes porque quero ir,sempre assim,sou maior que o tempo no chegar das horas.
O desejo é combustível leve como a roupa que me despe na correria dos momentos desaflitos sem tormento.
Todos os pores do sol,todo cintilar da lua.O todo tudo sem restrição alguma.Manhã,estrela,orvalho,alvorada.
Sou a estrangeira que passa na imagem pertencida aos caminhos.

4 comentários:

Anônimo disse...

Estrangeira ou não, suas palavras são doces cálices de Porto!
Não é uma escritora, é uma ninfa, uma Deusa no manuseamento das palavras!! Divinal!!! Bem haja!

Anônimo disse...

Oi Cris. Ao ler as suas palavras denoto sempre um duplo sentido; parece q tem uma conotação sexual... É mesmo assim ou errei?
Escrita deliciosa.

Um Novo Olhar disse...

Ola Cristina. Muita honr, a sua visita. Interessante o seu blog, assim como o seu perfil. Gostei de saber do interesse por Fernando Pessoa, meu preferido.

Cristina dexou um comentario num blog em que colaboro e que está em anexo aos meus, que são
"um novo Olhar"
Subtilezas da Alma"
"Uma Aldeia Esquecia"

Gostei de passar por aqui
Beijos

Dolores

Anônimo disse...

As suas palvaras são sempre guias para o meu encontro com a minha alma. Alma estrangeira em busca de lugar e sentido da viagem. Barcelona te manda um abraço.