sábado, 28 de março de 2009

Querida Querubim-O encontro

Pela manhã.
Frio.
Dia claro de sol.
Eu e as cobertas.

Hoje às 9:06 mudou a lua de minguante para nova.Ontem a noite estava fria,muito fria.
Na rua a temperatura estava abaixo dos 10 graus,às 22:15,hora que cheguei em casa de meus pais.Vinha de um lançamento de livro.As ruas desertas,um e outro encapotado passava pela gente.Parecíamos seres de ficção e esta cena poderia já ter acontecido em qualquer lugar do mundo,em qualquer tempo,tal a densidade da atmosfera que nos envolvia.A história tanto real quanto imaginária veio envolta em um mistério maior que a vida.É impossível descrever a experiência turva da conexão com um outro tempo mais antigo,esta além das palavras.
Éramos em três.Eu,minha filha e aquele homem gentil que nos acompanhava.Andávamos a pé,nós mulheres no lado interno da calçada como antigamente.Passos cadenciados.Se falava de amor.Amor e poesia.Amor sem interesse.Amor protetor de dedicação e carinho,amor de cuidados.
Percorremos uma distancia curta até chegarmos em casa.
Minha filha entrou apressadamente fugindo do frio.Fiquei eu e aquele homem cumprindo o ritual de despedida.
E nos olhamos nos olhos.Ouvi atenta o que ele me dizia.Em um instante percebi que um encontro é suficiente para o reencontro de duas almas.
Beijou-me na face e nos desejamos boa noite.
Naquele momento recebi um bem que já me pertencia.A aproximação com aquele homem saído das brumas do passado recriava a sensação de alegria e as feridas antigas me pareceram passíveis de cicatrizar,me senti atraída por ele.Tínhamos os mesmos gostos e opiniões e a noite inteira ele ficou lançando olhares para mim .Esta noite me afetou de uma forma mágica.

Página antiga que escrevi outro dia enquanto a lua virava nova e eu nova de mim fui brotando em novo enredo atraente e sedutor.

11 comentários:

Luz disse...

Cristina,

Cá estou retribuindo a visita.
Esses olhares lançados, já deviam ser no fundo de almas que se percebiam e se identificavam.
Parabéns pelos espaços!
Apareça sempre
Luzcia

tertulías disse...

Cristina querida,

que coisa mais linda a sua descriao destes momentos. Impressionante como voce "nos prende" com o detalhado contar de uma estória. detalhado ao mesmo tempo leve, simples... conmo acho linda a sua forma de escrever. Me cativa. Ah, ler tao belas linhas... Obrigado querida!!!!!
Ricardo

Adrian LaRoque disse...

Olá Cristina, fiquei sem saber onde ir?! Tantos blogs! Bem não vi ainda os outros mas adorei este, pela escrita...
Verdade que a vida é feita de momentos, momentos que nos tocam, gosto daqueles que conseguem transmiti-los em palavras. Parabéns pelo blog e obrigado pela visita ao meu.

cristinasiqueira disse...

Oi meus queridos,
Luz
Ricardo,
Adrian,
Que delícia tê-los comigo nesta manhã de domingo.É muito bom manter esta conexão rica em afinidades.Nossas buscas ,nossos encontros por ora virtuais.No blog
www.prisma-cristinasiqueira.blogspot.com
Estou dando continuidade a um trabalho que se baseia em entrevistas publicadas em jornal e que agora estendo para o mundo virtual.E vcs se assim o desejarem estarão comigo.
Com carinho,
Cris

Cristiana Fonseca disse...

Olá Cristina,
Belíssimo texto, tua sensibilidade encanta e seduz.
Beijos,
Cris

Estela disse...

Lua Nova que é tão velha quanto o mundo só pode nos trazer essa sensação gostosa e tão delicada que você descreve.
Lindo demais.
Bjs.
Estela

casa da poesia disse...

Lindo!...de verdade!...há sempre um ressuscitar!...

e para ti...com votos de Páscoa feliz..."Abvum d'bashmaia"...

Marcia disse...

que maravilha Cris.... to amando isso aqui., agora com um cadim de tempo estou aprecisand as lindas palavras ditas por ti. bjo no coração. saudades

cuentosbrujos disse...

Hola preciosa, yo tambien me dejo fascinada pela lua. É fácil ou difícil, uma vez que você olhar, a união de duas almas
perdoe a minha tradução,

Cristiana Fonseca disse...

Olá Cristina,
passando pra ti desejar uma Feliz Páscoa.
Bjs

Léo disse...

Este texto foi o que mais se afastou da Personagem Querubim (Que você afirma e bate a tecla dizendo que não é tu). Ao passo que o parentesco, o livro nos remete a tí a personagem da trama.

Não vale negar que neste dia você incorporou na Querida Querubim, ou ela incorporou em você.

Um dos raros momentos em que a vida imita a ficção.

Direto do Rio e no encalço da moça Querubim.
Beijos.