domingo, 13 de setembro de 2009

Querida Querubim- A Roda Gigante de Luzes







Cheguei até aqui,neste dia de idade nova e tenho objetivos próximos e a longo prazo.Tenho a determinação do desfrute,sou capaz de trabalhar criativamente.A arte é salvadora.Minha existência é importante,estou aberta para os sentimentos.Ainda me interesso em descobrir toda beleza que existe dentro e fora de mim.A dor existe mas recebi o dom de me colocar acima dela.
Me distraio andando a pé até a padaria,o café,a praça,o máximo de percurso que dou conta no momento e nem percebo a dor como companhia.Dançar,amar,brincar no mar ,tudo posso e mais ainda,ficar horas regradas no computador,assistir filmes e conversar.Então posso,então gosto do que posso.E posso.
O círculo virtuoso da transformação sediado no meu corpo -coração me tornam a mais e além dos ossos ,músculos e entranhas que me põem em pé.Gostaria de voar 5 metros acima como os peixes que se lançam na piracema.Sobreviver com leveza e graça construindo um novo imaginário com possibilidades não pensadas.Hoje até o corpo se refaz na maravilha da ciência com suas proteses,titânio,enxertos em técnicas apuradíssimas.
-E qual o sentido da vida?
Penso que é viver no sentido mais absoluto e absurdamente natural,alinhada ao gosto de usufruir,degustar,construir ,irradiar-ultrapassar a vida anunciada,a mortalidade que submete,o medo que acovarda.Ser forte neste acreditar,no estar e ser o agora.
A partir da criação celebrar a força criadora que ao revolver o solo entumescido dos restos podres e adubado pelo que é velho e jaz ao solo, germina em ideias e projetos que instigam a prontidão,o amadurecimento natural de vida nova.
O ser novo do mundo inteiro grávido nas mãos de sentires que partem velozes da visão de dentro,única.Assumindo que a cada dia tudo é novo.Tudo é bebê a exigir cuidados.
Pluma que voa em um fenômeno tão simples e banal e ,mesmo sendo pluma e sem vida é vital,dança circulante,energia circundante.A intenção de expandir a vida,o gosto por compartilhar,viver para acrescentar generosas porções de si mesmo a humanidade.
Em períodos turbulentos o voo criativo é redentor-coração preparado com doçura em momentos de encontro com o silêncio e a solitude-esta dimensão imensa em que a alma se solta para dançar em evoluções de ir e voltar em proporções grandiosas que moldam a realidade e a modificam.Fazer arte é exercício de paciência.Paciência que acontece naturalmente,passo a passo sem querer chegar a algum lugar e contudo chegando no ponto a ponto do fazer com gosto.
Este é o alimento que se combina produzindo textos saborosos,poemas libertos,riscos da alma em terrenos desconhecidos e abençoados.Contemplo a mim mesma agindo com paixão e firmeza,bens que preservo pelo tempo das idades.Voraz como li outro dia no comentário de um leitor-Voraz sim mas saboreando com vagar o gosto de viver intensamente,cumprindo a parte que me toca e, limpa na consciência-um sem pensar estético e arraigadamente ético.Este é o princípio.Sem julgamentos me fiz assim.
Agéis e longas narrativas organizadas na tela do computador meu príncipe do momento.Meu rei sem tormento de poder.A conexão com semelhantes afins.Como é bom e amigo este estar na trama virtual.
No outono sou um filme em nuances cinza, do chumbo ao prata iridicente.O preto e branco noir do inverno.Explosivo em cores ,sensações e cio na primavera.E largado de si no verão ,tempo de ócio pelas praias da Bahia,pelos catres das cabanas,acolhida pela mata fresca,verdejante.Sou também música e pássaros,rumor de rios,queda livre das cachoeiras,coral de cigarras anunciando a noite.
Rigorosa busca da essencia do prazer,ficar contente a toa.Usufruir o peixe da moqueca,o camarão do bobó,todas as cocadas e suas fitas de cor:maracujá,queimada,branquinha.
A bolsa com os artifícios da vida moderna,o protetor solar,o ipod,o iphone,a camera digital.Trago para o simples toda a parafernália tecnológica,todas essa coisinhas de Deus desbravadas pela inteligência humana.E curto sem medida as inúmeras possibilidades que existem.Sou a cena e o fora dela.Sou o quadro,o mar aberto,o cochicho das ondas ,a paisagem do horizonte e também os olhos de fora,a platéia que assiste vibra e enlouquece com a deslumbrante beleza.
Vejo o que não é visto.É sentido.Aguço a sensibilidade sobre o invisível debruçada no mirante do infinito.Transcendo ao tempo, sem pressa,livre de espectativas e ansiedades.Meu bendito vidrinho de floral impatiens.E recebo a benesse de não me frustrar.
Trago os momentos de silêncio para perto e percebo o que há entre as coisas.O tempo é caro,patrimônio cumulativo de riqueza.
Sou e somos algo único.As histórias escritas nas faces.Sou e somos histórias reais criando um story board de verdade a cada dia quando pulamos da cama para trabalhar,amar,para encorajados fazer da nossa vida o que nos é próprio,admissível.
Do mundo percebo a amplidão,o quanto sou minusculíssima.Do outro percebo sua performance original mesmo que encoberta por disfarces e mentiras.Vejo sua humanidade buscando por luz,entendimento como a planta que cresce em direção ao sol...até as plantinhas rasteiras.
E falando de arte falo dos seres que driblam os desafios ,equilibrando em malabares a aventura e a rotina e tem sua força no trabalho,no prazer,na generosidade,no humor e se revelam amorosos ao que nos cerca e cativa.
E a roda da vida vai ,gigante,até o momento em que se transforma em alma.E a crisálida em borboleta.


39 comentários:

AVC disse...

É isso aí!

Nunca deixar de viver, de fazer as coisas que gosta, que lhe dão prazer e, acima de tudo, nunca perca esperança e a ligação a esse mundo da inspiração.

Também eu me aproximo, por estes dias, de mais um idade nova e tudo se vai completando sem fim.

Um forte abraço.

Alírio

Vanilda Fiuza disse...

Olá!!! Querida Querubim.

Tentando descobrir toda beleza que existe dentro e fora de si. Trabalhando, criando, pois, acredita que a arte é salvadora.
Desfruta de sentimentos abertos para dançar, amar, brincar no mar e gosta do que gosta.
Transcende o tempo, sem pressa. Como a planta que cresce em direção ao sol e se transforma em alma como a crisálida em borboleta.
Mais do que reflexões maduras isso é filosofia da melhor qualidade.
Abrir espaço para o novo, para a luz e só cultivar como flores raras as coisas boas.
beijokinhas perfumadas.

Adolfo Payés disse...

Un gusto leerte..

Un abrazo
Saludos fraternos

Que tengas una muy buena semana..

Livinha disse...

Viver a vida, não é simplesmente estar vivo, mas saber viver... Viver é arte, é canto, é luz e ousadia... Viver é sonhar, acreditar e ter nas mãos a capacidade de lutar e acima de tudo,
sentir-se feliz...

Maravilhoso texto
parabéns!

Feliz semana para você e os teus...
Bjss

Ira Buscacio disse...

Olá, Cristina,

Que maravilha, esse espaço!

Que bela forma de expressão. Forte, passional e tão rosa.

Somos mesmo dessa raça chamada crisálida. Nos transformamos com a vida e por amor a ela, em belas borboletas. Obrigada pela visita.

Bjão

Noslen ed azuos disse...

Se deixar viver, nem alegre e nem triste, viver o momento e praticar ioga.

bjs

ns

Carlos Eduardo Leal disse...

Cristina,
As metamorfoses da vida, como a transformação da crisálida em borboleta pode e deve acontecer a cada momento. Em cada momento somos uns e outros e estamos em constante mutação. Você tem razão quando diz que é através da arte que podemos driblar os desafios e, complemento, nos encantarmos para outros humanos-seres.
Abraços,
Carlos Eduardo
veredaspulsionais.blogspot.com

Apareça!:)

Estela disse...

"E a roda da vida vai, gigante, até o momento em que se transforma em alma. E a crisálida em borboleta."

... que segue voando em busca, não brusca, até o arcoiris.
Um arcoiris de flores, um arcoiris de odores, de cores de flores... e de doces amores.

Bjs.

Mirse Maria disse...

Sensacional, Cristina!

Emocionei-me com o texto. Amanhã, com mais calma e menos dores, refarei a leitura desde a primeira postagem.

Parabéns, amiga!

Beijos

Mirse

Paulo Tamburro disse...

CRISTINA, agradeço a generosidade da sua visita aos meus blogs e confesso ser , para mim motivo de muito orgulho, ter tão perto uma encantadora profissional do texto, como você é.

E por falar em texto - e me desculpando antecipamemde pela pretensão de tentar adicionar ao que está completo, algo mais - eu diria que sintetizaria numa frase este seu belo e profundo conteúdo com a seguinte frase:

O que para a lagarta é o fim do mundo, para Deus é o nascimento da borboleta.

Voe Cristina!

Serei seu seguidor.

Oliver Pickwick disse...

Páginas de um diário? Uma crônica? Um story board em texto? Seja o que for, aposto que escreveu de uma só vez, sem edição, nenhum planejamento, e sem utilizar-se sequer uma vez da tecla "backspace". Deliciosas reflexões sem dor.
Um beijo!

Batom e poesias disse...

Pensei em tantas coisas a para escrever enquanto lia, mas nada seria bom o bastante.

Você é LINDA!!!!

Que seja suficiente para que compreenda tudo o que quero dizer.

Um beijo na alma
Rossana

Marcelo Novaes disse...

Cris,



Esse texto traz uma bela definião de Arte [de viver] e de seu alcance! A sua pessoal definição, que te define na medida em que vc se insere nessas possibilidades, enxergadas e atuadas por vc.



Parabéns!







Beijos,







Marcelo.




[PS. "Voraz" é um termo descritivo, não pejorativo...].

Adriana Karnal disse...

a roda viva da vida....com luzes é mais bela

VANUZA PANTALEÃO disse...

Criss driblou os desafios e deixou que fluisse seu sentimento par a par com as palavras que bem sabe domar. E com o vidrinho de Floral Impatiens ao lado. Já o meu tem que ser o Rescue mesmo. Tenho uma experiência extraordinária sobre Florais, acredito que você vai gostar.
Amo tudo que dizes, querida Querubim!!!Bjsss

Lu Cavichioli disse...

Querida Cris, vim te ler e como sempre, leitura de altíssimo nível.

Tem postagem nova no Empório. Aposto que vc vai gostar. Está no mural do leitor.

super beijo

Léo Metallica disse...

A moça Querubim anda contemplativa e nos ensina como devemos viver a vida alegremente e despreocupadamente.

Em determinado momento do texto ela se solta e deixa transparecer os aspectos que a deixam feliz, como o ócio da bahia, e ainda nos faz ver que poesia é aliádo de tecnologia.... Ao por do sol ouvindo música no iPod. Porque não?

Moça contemporânea esta.

Direto do Rio.
Beijos.

EVELIZE SALGADO disse...

Querubim PERSONAgem do roteiro vivo, ao vivo, da energia à tecnologia... cores e máquinas, num cenário de ondas que cochicham em meus próprios ouvidos, avivando minhas lembranças distantes, saudades...
A arte da vida, do amar, do Amor!

Fecho os olhos e te vejo transbordande, exuberante em teu ser Cristina.


Lindo, lindo, lidaaaaaa!

Beijos alados

Graça Pereira disse...

Adorei este texto. Curiosamente, pareceu-me os passos que eu também dou no meu dia a dia, na simplicidade das coisas e da vida.
Mas gostei sobretudo, da tua força e fiquei com esta frase que escrevi na minha pequena agenda de bolsa:" Então posso, então gosto do que posso. E POSSO"! Um beijo grande Graça

Cultura Malcriada - disse...

Oi Cris!
Viver a vida e se sentir como parte integrante dela sem dúvida é um grande prazer!!! Como sempre, ótimo texto!
Bjão!

sueli aduan disse...

Cris,
que prazer ler seu(s) texto(s), é sempre um aprendizado.
O entusiamso que vc nos passa a cada linha, cada palavra escolhida com tanta propriedade, com tamanha delicadeza.
Esse texto "me encheu"...sinto-me cheia de muito...
obrigada.
abs

Olavo disse...

Vc se expressou de uma forma unica..o bem que a maturidade a vida nos tras..
nossos direitos adquiridos
Beijos

Rodrigues Bomfim disse...

Muito bom teu texto..Uma reflexão pura sem rodeios e verdadeira
sobre teus sentimentos e esperança em dias melhores

Abraços e ótima semana

Barbara disse...

Roda mundo
Roda gigante
Roda moinho
Roda pião
O tempo rodou num instante nas voltas do meu coração

DEPOIS DESSA CATARSE DE AMOR, SÓ POSSO TE OFERECER CHICO BUARQUE...

antonior disse...

Cristina,

Gosto deste texto que revela o olhar de quem vive a vida na consciência de ser um casulo da crisálida à borboleta.

Gostei de ler:
"A arte é salvadora.
...E falando de arte falo dos seres que driblam os desafios ".

Beijinhos

antonior disse...

Respondi ao seu comentário colocado no post "TINTIN - O VELHO AMIGO" na página em que foi feito.

Mónica López Bordón disse...

Hola Cristina,

Muchas gracias por tu visita a mi blog.

te dejo un beso grande desde España
Mónica

Eduardo Aleixo disse...

Gostei de a ler. A atenção a tudo no sem tempo do aqui e agora faz de nós seres pertencentes ao todo que somos. Somos esta pequena e grandiosa maravilha do universo: estrelinhas com coração e bioca. Céu e terra. Mar e aves. Fontes de amor.

Ana Lúcia Porto disse...

Lindo..., maduro e revelador...
Cristina, assim sendo, você é uma artista muito criativa e pacienciosa...

Beijos e que Deus sempre abençoe este seu dom envolvende de ser...,
Ana Lúcia.

UIFPW08 disse...

uerida Cris você sempre com você suas palavras para colorir a vida de alegria.
Un beijo
Maurizio

Luis F disse...

Gostei muito de por aqui ter passado, lido e saboreado os teus textos

Os meus parabéns

Com amizade
Luis

Lu_Russa disse...

Humm..e quando vai sair o livro Querida Querubim ... ?

bjos e bom final de semana ! :)

LuRussa

Elisangela Batista Barbosa disse...

As imagens desse texto são lindas! Identifiquei tanto de mim no processo todo! Parabéns, lindo!

Clea Pinheiro disse...

Cris,
Gostei muito de ler seu texto! é sempre lúcido e terno... sem amargura nenhuma, só vida, percepção, sentir, vibração...
Destaco: "Paciência que acontece naturalmente,passo a passo sem querer chegar a algum lugar e contudo chegando no ponto a ponto do fazer com gosto."

Parabéns! Cris.

Barbara disse...

Passo para carinhosamente indicar:
mary-assuntosdiversos.blogspot.com

Thalita Godoy disse...

Adorei o blog, bem interessante mesmo!!!!
Bjs

marcelo dalla disse...

"A arte é salvadora"! Sou fã. Será uma honra ver minha ilustração aqui.
bjos querida

OUTONO disse...

Viver a vida...pouca gente sabe...como...BOM TRABALHO!

NDORETTO disse...

____________Trago os momentos de silêncio para perto e percebo o que há entre as coisas____________perfeito!!!!