quarta-feira, 8 de junho de 2011

...Sobre o amor e amar


...sobre amor e amar

Caminho pelas ruas acordadas da cidade. No IPOD, anos 80 e seleções que se alongam em minh’ alma à dentro revirando em ondas o sangue vivo,vibrando em vocação apaixonada.Elvis e Marlene Dietrich ,Luis Melodia e Ana Carolina,Caetano Veloso canta Nature Boy e Marisa Monte e Cesária Évora se entendem lindamente.E Besame Mucho em tons que arrepiam. Nina Simone, sua voz quente, e nos passos de ver a vida de trás para frente ouço apaixonadamente Love me Tender e fecho os olhos para me entregar a Stardust na voz de Rod Stuart.Seria bom estar a menos de um milímetro de um beijo prestes a ser um acontecido acontecimento.

Quase danço, transfiguro a realidade em prazer. Quero viver sem ameaça alguma, atravessar a rua de olhos fechados confiante de que o vermelho do sinal me protege. Estou feliz com este delicioso e absurdo som, aciono o time da vida neste elegante aparelhinho da Apple, meu broche sexy vibrando poesia em meus ouvidos, flutuo sem que ninguém perceba.Faço amor na frente de todos ,descaradamente ,e ninguém se dá conta deste amor que transborda e empapa em suor a malha de lã,o corte na virilha da calça jeans.Ninguém se dá conta que amar é um estado absoluto de feliz presença ,uma gota de leveza neste alvoroço ,neste caos profundo e desumano do existir.Minha natureza abre-se a vida assim,é deste jeito que eu sou...

Gosto de reticências é meu tempo mudo quando lhe ofereço o espaço para você preencher. É meu estilo de manter um diálogo com você sem nome que me lê e se toca com o sussurro falante que disparo em flechas para sua alma. Uso travessão mesmo quando falo sozinha. Sou eu minha hóstia, ponho reparo no mundo a todo tempo, o tempo todo. E ligada ao som que me extasia, quase ausente deste corriqueiro de luzes do semáforo me movo entre o céu e o caminho dos cães, dos pregões baratos, das pessoas que não se vêem indiferentes aos desejos naturais.

Viver é liturgia.

Minhas botas de salto, altas com fivelas prateadas, a canela fina envolvida em meias de nylon, longamente as coxas.

Ingênuo sabor fatal, o beijo quando dá certo.

Recolho sentimentos para que não me abandone o coração. Recolho o sangue quente de viúva, estou madura quero me repartir com doçura e algo selvagem me arrebata em instinto e toca a planta carnívora que me encanta.Ouço a impossível voz de amores desdobrados em cantos,óperas,harmonia distinta dos que se aventuraram em cozer a vida com paixão-a trama do destino dos que arriscam tudo,pouco ou quase nada.

O amor que me leva a realizar minúcias, a esculpir um homem com as mãos nuas. Nada é simples, amor é rococó, paredes que desaparecem, estradas que se abrem, camadas de tecidos macios para arfar, brincar e se entreter com o tempo sem cálculo à resposta do corpo a carícias .Os beijos é com doçura que se dão...os abraços a tensão mágica do desejo...rio de alegria...choro em de repente...meu amor é meu amor e está vivo anunciando o esplendor do coração que pulsa e faz o desejo se erguer enervado...esse tanto de amor que não envelhece.

Amar , um movimento de amplitude,não restringe,liberta,oferece espaço para ser feliz.Amar é a arte de se completar nas diferenças.É dom, talento que abre as comportas da generosidade da existência,organiza as gavetas da alma com leveza e desprendimento.É um sentimento preciosíssimo ,um cofre de certas coisas que permanecem secretas e de outras que viram fotografias.Nesta vida dispersiva e superficial amar é porto que acolhe bons e raros navegadores de águas profundas .


39 comentários:

Mari Amorim disse...

O amor é o precioso alimento da alma!
Deixo-lhe meu abraço,cheio de boas energias,saudades de vc no brincando com a rima!
Mari

nydia bonetti disse...

Fica dificil destacar o trecho mais bonito. Mas esse: "ponho reparo no mundo a todo tempo, o tempo todo..." me toca de perto. "Viver é liturgia" Viva! Preciso acreditar nisso... Beijo!

Marcia disse...

O amor é lindo qdo se correspondido, é maravilhoso qdo se é sentido e melhor ainda qdo se esta com a pessoa amada. AGORA, O DESPREZO ACABA COM QQUER AMOR. BJUX amo vc Cris

Jorge Sader Filho disse...

Fico imaginando uma alma trabalhada como a sua, querida Cris, amando sem limites.

Beijo,
Jorge

lino disse...

Feliz de quem assim ama!
Abraço

Anônimo disse...

Cris, vc só pode estar apaixonada para escrever tão bem sobre o sentimento. Sorte daquele que é amado por vc! bjinhos
Cássia

Anônimo disse...

Cris, vc só pode estar apaixonada para escrever tão bem sobre o sentimento. Sorte daquele que é amado por vc! bjinhos
Cássia

Vanilda Fiuza disse...

Cris, ao degustar seus escritos cheios de amor e ternura, sinto minhas emoções vibrando e me ponho a meditar e suspirar sua sensibilidade em poetizar versos do teu dia a dia..Minha alma se aquece e começa a sorrir...Você sempre me encanta.
Luz!! Muita luz para vc querida....

Anônimo disse...

Amiga, realmente amar é um sentimento preciosissimo, pois é a liberdade da alma é o extase da vida...que bom que vc o achou....bjs...Vá

______MARCOS DHOTTA_____ disse...

... Eu te amo, viu amiga. Xêro!

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Taí um texto escrito todinho com o coração, sem meias medidas. Maravilha, Cris.

Batom e poesias disse...

"Sou eu, minha hóstia"...

Beleza de texto, querida.
Você sempre surpreendente e iluminada!

Grande beijo!
Rossana

MIRZE disse...

Belíssimo, CRIS!

Amar é isso. Amor é liturgia, na qual os personagens foram muito bem descritos aqui. Concordo que se você, se ama, esse amor transcende e passa para o mundo!

Beijos, querida amiga!

Mirze

Vanuza Pantaleão disse...

"...transfiguro a realidade em prazer..."
E que prazer te visitar, Cris! Prazer renovado, prazer em sentir a tua sensibilidade nos caminhos da Literatura que realizas...

Amiga querida, as férias foram muito curtas, só para um pequeno descanso, mas nas próximas, quem sabe, a gente se abraça? Assim espero, de coração.

Mil carinhos!!!

Ira Buscacio disse...

Cris, minha queridona! ao bom quando vc volta e volta ainda mais inteira, mais bela.
Li esse texto avassalador, como se estivesse de frente pro espelho. Me achei, me perdi, me vi rodopiando entre os ideais e as realidades, td um pouco misturado, mas com a alma acesa e o coração cheio de ternura.
Sou sua tiete!
Bj de admiração e carinho

Cores da Vida... disse...

Gostei de lhe rever no Jorge Pimenta.
Bateu saudades...

Beijos e espero que esteja tudo bem com você.
PS: Voltarei para ler com calma.

Ebrael Shaddai disse...

Simplesmente maravilhoso texto, um desabafo de uma alma pulsante numa manhã de Destino incerto...

Lindo demais! Parabéns! Bjs!

Ebrael Shaddai disse...

Quase esqueço de te deixar um link, quem sabe agradável de minhas poesias em outro blog:

http://ebraelshaddai.com.br/?cat=61

Fui, mas volto...

Anônimo disse...

AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAHHHHHHHH AMARR SEMPRE SERÁ A GRANDE ARTE DOS CONTRARIOS,AMOR PASSIONAL , DRAMAS CARNE VIVA , AMIGA VC. SABE O QUE ESCREVE , BRAVOOOO.CRISTINA.

Arnaldo Norton disse...

Este texto é tão lindo que nos obriga a lê-lo dum fôlego só! Partilho esse sentimento profundamente porque,para mim,estar apaixonado é um estado de alma que, como poucos, dá sentido à vida.

b disse...

Amor- você o tem e por isso joga a frase " viver é liturgia " _ como fosse fogos de artifício no céu de você, de nós e da cidade.

Pise forte com essa bota, pois certamente você sabe onde pisa - por si mesma e por seus próprios passos.

Você jamais será uma mendiga de amor - conhece a liturgia.

M.PAUMARCH disse...

Una bellíssima prosa, inspirada i oberta.
Parabéns.
Um abraço catalâo.

Salvador.

► JOTA ENE ◄ disse...

ººº
O amor eh phoda, né? rs

Beijo

Amanda Lemos disse...

Gostei bastante do Blog.
Muito interessante !

É bom ver a cada dia que passa mais originalidade nessa "blogosfera". :)

Deixo o meu aqui caso queira dar uma olhada, seguir..;
http://bolgdoano.blogspot.com/

Muito Obrigada, desde já !

O N Z E P A L A V R A S disse...

Verdade. Parabéns pelo texto pleno de emoção.

Eduardo Aleixo disse...

As últimas três linhas do teu texto chegam para perceber que " é desse jeito que tu és", que é o teu sonho a desejar o jeito, que é o teu corpo frente à linha da separação das águas entre a liturgia dos dias e as águas sem fim e sem limites, que é a tua alma sedenta de amor que fala, e se assim fala, como no texto bela e calidamente e fervorosamente falou, é porque sabe como deve ser pronunciado o verbo amar. Raros são os momentos do amor. Coisa tão fácil e tão difícil. Não devia ser preciso arrojo nem coragem. Bastaria a inocência das mãos e da pele e dar satisfação aos apelos do olhar. Gostei de ver-te dançando e voando nos braços do homem amado: nada existe de mais belo do que o amplexo total, pleno, da pele e da alma, onde o espaço não se vê, e o tempo não se sente. Faz-se silêncio de música de regato catarata e as estrelas acenam embevecidas e os anjos ficam cheios de inveja. Um beijo.

Folhetim Cultural disse...

O amor é sublime!

José María Souza Costa disse...

Tentei seguir o seu blogue e não conseguir. Mas, mais tarde voltarei e tentarei outra vez. Certamente seguirei, mesmo que seja via tuiter.
Mas, eu pergunto. Mas, o que é o Amor ? Uma pergunta sem resposta, diria mo poeta.
Adorei o seu texto. Belissimo, agradavel.
Avassalador.
Certamente voltarei outra vez.
Felicidades, sempre e Sempre

cirandeira disse...

O amor está em quase todas as coisas, não é mesmo, Cris? O grande problema é que na maioria das vezes ele não é percebido por nós, porque estamos sempre querendo
vê-lo, apalpá-lo, agarrá-lo com todos os nossos membros, possuí-lo,
dominá-lo, e, consequentemente, destruí-lo!
Esse amor que demonstras em teu texto (belíssimo!)é o que nos alimenta e nos mantém vivos!


Beijos
P.S. Adorei tua visita, sempre tão rara e preciosa!

Pedro Luso disse...

Cristina,

Teu poema, no seu todo e em especial neste trecho:

"Amar , um movimento de amplitude,não restringe,liberta,oferece espaço para ser feliz",

lembrou-me este poema de Raimundo Correia:

"Viver! Eu sei que a alma chora
E a vida é só dor ingrata.
Pranto, que a não alivia,
Olhos, que o estão a verter...
Sofra o coração embora!
Sofra! Mas viva! Mas bata
Cheio, ao menos, da alegria
De viver, de viver!

Abraços,
Pedro.

Folhetim Cultural disse...

Obrigado pela sua passagem no Folhetim Cultural, em agosto teremos uma nova grade de programação com contos, crônicas, poesias, poemas e notícias culturais. Conto com você sempre por lá.

Cristina parabéns por este post, sinto o mesmo quando leio um bom livro, você parece ter um ótimo gosto musical. Geralmente não gosto de blogs que toquem música, mas Carla Bruni é agradável. Você é de Tatuí o irmão do meu padrasto reside nesta cidade. Se possível vamos manter contato.

Magno Oliveira
Folhetim Cultural
E-mail: folhetimcultural@hotmail.com
twitter: twitter.com/folhetimcultura ou @folhetimcultura

Graça Pereira disse...

"Viver é liturgia"... e não é?
Liturgia do encontro, da espera, da entrega, do amor, da paz e do testemunho.
Maravilhoso texto.
Beijo
Graça

BY KATHY disse...

Que honra receber seu carinho!
Sou tua admiradora desde a época das Poesias pelos muros de nossa cidade.
Esse texto maravilhoso não é de minha autoria, quem me dera... Infelizmente quando o encontrei,no Pensador não havia os devidos créditos corretos, mas agora encontrei: Ana Jacomo http://anajacomo.blogspot.com/2009/11/prece.html
Esse texto minha querida, é muito mais que uma prece, pois nos coloca face a face com Deus.O choro desesperado da Persefone por injustiças ao regaço Do Pai Criador do Universo.
Agradeço a sua visita, volte sempre! Estou aberta a criticas construtivas, pois voce ja eh Mestre. Bjo enorme e fachos de luz em seu caminho.
Ps- se eu acreditasse em coincidencias... Ahhhh minha querida! 08/06/2011, nosso ultimo post!

BY KATHY disse...

Abençoadas sejam as surpresas risonhas do caminho. As belezas que se mostram sem fazer suspense. As afeições compartilhadas sem esforço. As vezes em que a vida nos tira pra dançar sem nos dar tempo de recusar o convite. As maravilhas todas da natureza, sempre surpreendentes, à espera da nossa entrega apreciativa. A compreensão que floresce, clara e mansa, quando os olhos que veem são da bondade. Abençoados sejam os presentes fáceis de serem abertos. Os encantos que desnudam o erotismo da alma. Os momentos felizes que passam longe das catracas da expectativa. Os improvisos bons que desmancham o penteado arrumadinho dos roteiros da gente. Os diálogos que acontecem no idioma pátrio do coração. Abençoada seja a leveza, meu Deus.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que vêm nos lembrar que viver pode ser mais fácil. Que amar e ser amado pode ser mais fluido. Que dá pra girar o dial. Que dá pra sair da frequência da escassez e sintonizar a estação da disponibilidade, onde alegrias já cantam, mas a gente não ouve. Abençoadas sejam as dádivas que vêm nos lembrar, com alívio, que há lugares de descanso para os nossos cansaços. Que há lugares de afrouxamento para os nossos apertos. Que dá pra mudar o foco. Que não é tão complicado assim saborear a graça possível que mora em cada instante.

Abençoadas sejam as dádivas generosas que nos surpreendem. Elas não sabem o quanto às vezes, tantas vezes, nos salvam de nós mesmos.
Ana Jácomo.
Confira, vc ira adorar.

Vanuza Pantaleão disse...

Viajando, minha amiga?
Mesmo assim, gostaria de lhe desejar um delicioso dia do amigo, mesmo um pouco atrasado, mesmo porque somos e seremos sempre amigas. Amigas em afinidades intelectuais e em espírito.

Um domingo de achados raros nessas águas profundas da sua linda alma, Cris...

Beijos, carinhos, saudade...

David C. disse...

el amor es lo mejor que le puede ocurrir a los seres humanos.

Dan disse...

Que delícia tudo aqui.
Lhe seguindo agora.
Me visite, ficarei feliz!

Bela semana. Beijo , Dan.

Evandro L. Mezadri disse...

Belíssimo texto, muito bem escrito, postado com a alma.
Grande abraço e sucesso!

Fanzine Episódio Cultural disse...

A ACADEMIA MACHADENSE DE LETRAS (Machado-MG) comunica que estão
abertas as inscrições para o VIII Concurso Plínio Motta de Poesias, do
ano 2011.
Entrem em contato para adquirir o Regulamento:
a/c Carlos Roberto machadocultural@gmail.com
ESTE CONCURSO ESTÁ ABERTO PARA TODOS!

OBS: O VALOR DA INSCRIÇÃO ( 2 REAIS) PODE SER COLOCADO DENTRO DO ENVELOPE COM AS 6 CÓPIAS DA SUA POESIA.