terça-feira, 20 de março de 2012

Sabático



Houve um tempo em que as baleias nadavam no Saara.
Ervas estão sendo replantadas, andorinhas voam onde antes era um deserto ,um tipo de lírio abre suas pétalas cor de lavanda onde era pedra e pó.
A renovação esta no ar da terra e do espírito.
A pontualidade da lua que brotou cheia às 18:08’em noite de maré baixa com volteios de guaiamuns apressados ,vivendo sexo num fenômeno de nome correição.
Champanhe que me entontece de felicidade ,a vida é celebração de instantes, Alguns besouros miúdos embiroscados  em meus cabelos fazendo festa nos cachos. Aprecio o luar esparramando prata fascinante ,projetando-se para lá e para além.
Posso ser o que eu quiser ser. É assim que eu quero que a vida se manifeste ,Quero a perplexidade provocada pela própria vida. Este tempo raro e caro para saudar a lua e me enternecer.
De que me serviria agora estar na cidade em tempo de promessas por projetos que justifiquem a minha carreira literária.?-projetos que não saem do lugar são fonte de frustrações e promessas não cumpridas geram um sentimento de não valia.-  De que me serviria agora  estar casada em modelo antigo, ser fútil, e tributável? Afinal eu me justifico  vivendo livre, olhando o céu com humildade.
Não quero, não posso, não devo  fazer hoje o que fazia ontem .Quero fazer melhor. Quero estar desperta .Cansaço e falta de vitalidade passaram a  ser a tônica da vida
moderna ,todos nós ingerimos diariamente nossa dose de anestésico :os hábitos ,os excessos, as palavras repetidas ,os lamentos ,os lugares de sempre ,os mesmos amigos, os programas de tv  viciantes ,as doses maciças de informação ,a vida virtual ao máximo, as conversas vazias ,as cabeças ôcas .
Serenidade para a escolha consciente de uma vida que me faça feliz .Isto é poder!
-O que escolher então?
Sómente a paz e a distância transmitem a compreensão dos fatos.
Em quanto se pode acreditar ,quanto vale o meu ,o nosso dinheiro ,o patrimônio de uma vida?-Entendo de olhar a realidade urbana de longe em exercício crítico ,em ausência prolongada. Quero sair deste cotidiano repetitivo, da rotina frenética de correr atrás para alimentar o giro manipulador do dinheiro. O desafio maior é o desapego ,sair da zona de conforto, criar vida nova longe da família ,dos amigos, do meu cão Lovan .

E para trazer sentido concreto e criar um novo enredo embalei com cuidado as lembranças ,em caixas de papelão acondicionei os livros, o volume de história quase que me engole e me senti personagem dos livros de Boris Vian, A memória afetiva da cidade mora na minha casa e eu não sei o que fazer com ela mas isto é assunto para museu e casa de cultura.
Penso em viver um período sabático e para garantir um valor mensal de sobrevivência coloquei minhas casas para alugar ou vender. Carrego comigo somente o essencial, alguns livros e roupas para verão e inverno.
As ilusões já foram colhidas em minha vida, a maturidade se apresenta com vontades novas de contornos e solidez ,preciso do tempo para ler e escrever, acredito nesta nova idade rica em possibilidades de talhar meu novo rumo.
O importante é ficar confortável com a certeza e a incerteza ,estou pronta ,nada é fora de propósito, aberta ao universo das perspectivas que se apresentam  em outros contextos
 Com esta disposição  e mesmo sem saber para onde a vida vai me levar eu os convido a participarem desta viagem comigo .No momento estou definindo um foco, os objetivos, as metas pessoais, as buscas.-Vamos nessa?

19 comentários:

lino disse...

Sê bem regressada e boas buscas!
Beijos

UIFPW08 disse...

Ola Cristina
Morris

sueli aduan disse...

..."Posso ser o que eu quiser ser. É assim que eu quero que a vida se manifeste ,Quero a perplexidade provocada pela própria vida".

Seus escritos "me arrepiam", ô coisa boa, cheia de verdades, poesia, boa prosa, amiga.

saudadesssss,
abraços.

Eduardo Aleixo disse...

Vou nessa, sim. Estou nessa, sim. Levo comigo apenas o meu corpo. E a minha casa é cada palmo de chão debaixo das estrelas. Como te compreendo. Coisas simples levo. E vou no meu bote. No rio da vida. Nas suas águas onde as estrelas se reflectem. Um abraço.

Mirze Souza disse...

Ai Cristina! Como eu gostaria, mas como não posso me realizo em você. Escolher uma vida consciente e plena de paz.

Beijos

Mirze

ROGÉRIO VIANNA disse...

Acho essencial tudo o que disse e espero que o futuro me resrve a possibilidade de ter asas e poder me desapegar dos sonhos e viver a vida.
Abraços minha amiga.
Rogério Vianna

Jorge Sader Filho disse...

Com você eu vou a qualquer lugar,
Cris!
Gostei muito do texto, onde impera o mistério bem escrito.

Beijos,
Jorge

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Eu calculo como deve ser bom poder fazer o que você fez. Exercer de fa
to este desprendimento e esta liberdade - desplugar, desamarrar, libertar-se e voltar de vez em quando, se e quando der vontade. Parabéns por esse privilégio, Cris. Um beijo.

nydia bonetti disse...

"Somente a paz e a distância transmitem a compreensão dos fatos". Beleza de texto Cris. A busca por um rumo nos persegue - é o que nos mantém, na verdade. Viver é essa busca. A maturidade nos permiter mesmo ver tudo com mais clareza... Pra mim tem sido assim. beijo, querida.

Vanilda Fiuza disse...

Delicada e elegante como sempre amada Cris vc esta linda nas fotos / sempre feliz leve e solta / Somente a paz e a distância transmite a compreensão dos fatos. Lindo e reflexivo texto recheado de valores vitais / bjosss

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo texto...Belas as suas fotografias...Espectacular....
Cumprimentos

Vanuza Pantaleão disse...

Cris, amada!
Uma verdadeira delícia voltar aqui e te rever cada vez mais linda (de rosto, de pernas, tudo) e livre. Saudando a liberdade de viver e escolher metas, caminhos, trilhas.
Você é ótima, amiga!(sempre foi e sempre será)
Doce final de semana...

Estela disse...

Oi Cris,

"O importante é ficar confortável com a certeza e a incerteza."
E saber que as coisas virão ao seu tempo e que sempre haverá tempo para o novo, o desafiante e tempo ainda para muitas indecisões.
Beijocas.

Ira Buscacio disse...

Cris, minha lindona querida!
Na quinta passada estive numa palestra sobre Cezanne, sua pintura, pela ótica filosófica de Merleau-Ponty e o que mais me encantou foi justamente sua escolha absoluta pela liberdade. Durante mts anos, ele viveu numa casa simples ao lado de uma montanha (onde a pintou centena de vzs), completamente isolado da cidade e dos humanos. Uma escolha difícil, mas de uma liberdade grandiosa. Ele experimentou-se de forma profunda, como ninguém. Claro, o cara era um esquisito, sim, mas de uma loucura invejável (por mim). Não arriscaria uma vida com tamanho isolamento, mas gostaria, se me fosse possível, de viver minha maturidade despida dessa enormidade que a cidade grande te impõe. Já minimizei as cargas bastante, mas ainda sinto que falta um pouco mais. Quem sabe? Eu te admiro profundamente, pela coragem, por suas escolhas e te falo: Sim. Vamos nessa!
Um beijo imenso

Jorge Sader Filho disse...

Voltei para desejar a você boas postagens, como tem feito.
Agradeço a visita de 23/05. O computador pode não ter teclado apropriado, mas a dona dele tem tudo!

Beijos,
Jorge

O Profeta disse...

Convido-te a conhecer um Homem de papel
Convido-te a olhá-lo num espelho de água

Bom fim de semana

Mágico beijo

UIFPW08 disse...

Olá Cristina são sempre lindas como você está bem?
beijos meus
Morris

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa dar com seu blog.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

Bruna Maéli disse...

Olá, Cris! Eu sou a Bruna do Blog da Bruna Maéli, lembra de mim? Estou passando para pedir pra você seguir meu novo blog tensaoprematrimonial.blogspot.com. Desde já obrigada e tudo de bom pra você!!