quarta-feira, 30 de junho de 2010

Mil mulheres de mel

-Arte-Venus d'aram-M.Paumarch

Muitas mulheres
saídas do pote de mel
Feito abelhas vaporosas
a quem o amante
em folga gostosa tocou

Multiplicidades doces e febris
se fizeram do corpo da divina escolhida
agitaram dedos ágeis
por entre os pelos e a carne
exerceram a língua em partes escondidas
filtrando em vinho suave cantiga

Guerreiras audazes
Gueixas capazes

No corpo do homem amado
acharam hospedagem
fadas,rainhas,princesas
mulheres amáveis

Uma desdobrada em mil
acesas como em festa
envoltas em gaze e luz
lábios de promessa

Mulher deusa
sacerdotisa que reluz
efêmera doçura
sol no horizonte
estrela vespertina
mistério e magia
luar em noite fria

A quem ele cobre
com rico e espesso manto
profundo desejo
puro agrado
beijos,abraços

cálido e rijo espanto

afago ondulante


no corpo frágil,

acalanto



A quem ele quer
com um querer imenso
a quem ele quer como amante



A realidade do espírito
é flexível,
mutante,
-Quantas mulheres saem de mim em um instante?






39 comentários:

UIFPW08 disse...

Talvez não seja um instante, mas um momento, um sorriso que vai deixá-lo sonhar um pouco.

Ciao Cristina
beijo

Maurizio

Flavio Ferrari disse...

Moça cheia de promessas ...

lino disse...

???
Abraço

marcelo dalla disse...

Que lindo, minha querida!!!! Senti a energia de Oxum nesse poema. Um amor doce.
bjos do amigo

Andrea Liette disse...

o que fazem
mil mulheres de mel
com um homem de fel ???

Belíssimo, amiga

um abraço.

salvador disse...

Molt bonic, el poema, Cristina.
Parabéns.
Um abraço.
Salvador.

sueli aduan disse...

Sempre delicioso "passar" por aqui ,dá uma vontade de ficar e ficar e ficar.. :O)
bjus,querida

Estela disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Estela disse...

Oi Cris,
Com mãos de fada vai tecendo o poema em pingos de mel.
Beijos.

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Cris, belo poema...Espectacular....
Beijos

lino disse...

Lindo poema!
Abraço

Ira Buscacio disse...

Cris,

Tava com saudade desse deleite, de vir aqui e me encontrar em gozo com tuas palavras.
Um luxo!
Bjão e boa semana, minha amiga!

Eduardo Marculino disse...

Parabéns pelo excelente trabalho realizado aqui.

Escolhi como BLOG da semana no História Viva, se desejar retire o selo no endereço http://historianovest.blogspot.com/2010/07/blogs-da-semana.html

Abraços

Mari Amorim disse...

Oi Cris,
que brisa linda,me presenteaste,
as mulheres tem o dom da multiplicação de instantes,Nit,ja dizia em seus pensamentos"A felicidade é mulher".Obrigada,pelo carinho,tô seguindo acho que de novo,mas não tem problema quando o blog é bom,nunca e demais,
Boas energias,
Mari

A.S. disse...

Belo Poema!!!

Teu corpo frágil
levita ao sopro do vento
ao zumbido do mel...
como faminto insecto
que voa avidamente
num voo evanescente!


BeijO
AL

Mirze Souza disse...

Cristina!

Bebi seu poema numa taça de cristal!

Uma beleza o poder imaginar as mulheres sempre tão fragilizadas pela sociedade como uma deusa, uma amante, uma MULHER!

Parabéns!

Beijos

Mirze

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

És única, e no entanto saem de ti inúmeras e segue sendo sempre a mesma!!! Lindo!!!

Para ti
Te amo
De improviso és tão diferente
Como és estranha esta noite
Raciocinas como se eu não fosse
aquilo que sou.
De acordo mas o amor é um sentimento
Dimensão ele não tem.
Primeira flor tu és
Que doce encanto
Preciso de ti
Não és sincero
Sem ti morreria
Te amo
Te amo.
E nós dois para sempre
Nasce o nosso dia
E nós dois para sempre
Basta estarmos escondidos aqui.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre.
Desde quando me mudaste por dentro
Nos teus pensamentos caminho
Uma idéia levo comigo
Aquilo que és
Por quanto restarás ao meu lado
A resposta não a sei.
Primeira flor tu és
Que doce encanto
Preciso de ti
Não és sincero
Sem ti morreria
Te amo
Te amo.
E nós dois para sempre
Nasce o nosso dia
E nós dois para sempre
Basta estar escondidos aqui.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre.
Sonhos juntos
Hoje como antes
Como o primeiro dia
E nós dois para sempre!

*traduzida por euzinha e revisada.
Beijos Amada!
I Love u

Everson Russo disse...

Belissimo tributo ao corpo e a essencia da mulher,,,,maravilhoso seu blog,,,obrigado pela visita,,,um belo final de semana,,,volte sempre que desejar,,,beijos.

Vanuza Pantaleão disse...

Oi, amiga!
Um cântico ao amor, amor que transcende, amor corpo e amor alma. Mas sempre...AMOR!
Um final de semana bemmm amoroso!

cirandeira disse...

Quanta doçura e sensualidade nesse
teu poema, Cris!
O mel é o néctar do erotismo e da
sensualidade, desperta desejos de lambuzar-se por inteiro...!!
Gosto ler esses teus poemas tão despojados, assumidamente MULHER!

Obrigada pela visita carinhosa.

Beijos e um bom final de semana

Livinha disse...

Quantas mulheres saem de ti
a cada instante?
Apenas uma no sopro que vestes
a deusa mutante...

Lindo Cristina!!

Saudades daqui.

Bjss

Livinha

Everson Russo disse...

Um beijo carinhoso de bom sabado pra ti amiga...

b disse...

Mulher, isso é poema de rainha, digo, abelha rainha.

Everson Russo disse...

Uma bela semana pra ti amiga...beijos.

Livinha disse...

É na fotografia que não se revela
que está contida magias e encantos
que se mostram apenas nos sentidos...

Tem selinho pra você, pelo carinho
de tuas visitas em meu jardim...

Obrigado minha amiga.
Bjs

Livinha

Batom e poesias disse...

Cris, trazemos mesmo dezenas de mulheres dentro de nós.
"As mulheres são mais que abelhas raínhas.
São a colméia."

beijos
Rossana

Mari Amorim disse...

O Amor nunca deverá ser responsabilizado por dores,perdas ou danos e tem amplos poderes para neutralizar todas as batalhas, sejam elas emocionais, familiares ou sociais...FELIZ DIA DO AMIGO,
BOAS ENERGIAS!
Beijos,
Mari Amorim
Brincando Com a Rima

█► JOTA ENE ◄█ disse...

ººº
Tantas mulheres com sabor a mel :)))

Vieira Calado disse...

Pois são muitas!

E todas de excelente qualidade

vintage 5 estrelas!

Bjs

Genny Xavier disse...

Cristina,

Tua metáfora mulher/abelha me fez lembrar uns versos da poeta portuguesa Sophia de Mello Breyner Andresen, que tanto gosto...

NAQUELE TEMPO
Sob o caramanchão de glicínia lilás
As abelhas e eu
Tontas de perfume.

Lá no alto as abelhas
Doiradas e pequenas
Não se ocupavam de mim
Iam de flor em flor
E cá em baixo eu
Sentada no banco de azulejos
Entre penumbra e luz
Flor e perfume
Tão ávida como as abelhas
________________

Pois é, e na doçura, seja das mulheres ou das abelhas, a vida torna o mel da flor...
Beijos,
Genny

Saozita disse...

Olá Cristina, lindo este poema. Gsotei de teu blog e se mo permitires irei seguir.

Te um bom fim de semana e recebe um beijo de Portugal atéao Brasil.

Léo Metallica disse...

"cálido e rijo espanto

afago ondulante"

Aqui está o climax.

Direto do Rio.
Beijos.

M.PAUMARCH disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Lobodomar disse...

Cristina, boa tarde.

Uma das coisas mais maravilhosas em uma mulher - e penso que vi isso muito bem expresso nesse seu belo poema -, é que, quando se dá a ela a devida liberdade, não deixando-a presa ao tédio ou à opressão, pode-se ter todas as mulheres, em uma só.

Adorei seu poema e o blog. Voltarei para ler mais vezes.

Sucesso pra você,... hoje e sempre.

Grande abraço, poetisa!

Cristiana Fonseca disse...

Olá Cris,
obra e escrita completam a sinfonia.
Lindo poema.
Beijos,
Cristiana

Unseen Rajasthan disse...

Fantastic and beautiful post !!

Marcelo Novaes disse...

Cris,


Lânguido e musical, como vc sabe fazer.




Um beijo.

A.S. disse...

Cristina,

«A Mulher é a substância de todas as coisas» (NOVALIS)

Belo o teu poema!


BjO´ss
AL

Anônimo disse...

qUANTAS MULHERES SAEM DE MIM EM UM INSTANTE, ESSA FRASE É TÃO LINNNDA TÃO MULHERES. eSTAREI SEMPRE A TE DESEJAR MUITO MEL. tÉRA.