sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Sonhos


Foto de Jorge de Oliveira Jorge


Sonho

As margens móveis
onde desagua
a corredeira do destino
as terras destacáveis
das beiras
pontilham em peças
o desenho que se vai
pelo rio de leito tortuoso

Eu ,a massa desta matéria
miro-me no espelho de mão



O papel parece feito de areia e mato.Brisa que desfaz os pensamentos.A paisagem recolhe o vazio da paz.Nuvens caprichosas vagam -O que acontece neste mundo de nuvens,e além das nuvens neste mundo invisível e luminoso que toco quando sonho acordada em estado de paz?Nuvens tocadas pelo vento.Tem coisas que só compreendo depois que se passa muito tempo.
Os sonhos acordados chegam e se projetam em grande velocidade,se espalham pelo horizonte feito os livros pela minha casa.E caminham à frente da vida.
Sonhos voam ,tem vida própria e em suas asas me abasteço em energia que me leva a progredir.Sonhar é um estar hipnótico de curta duração e intensa potência.Sonhos acarinhados que me transportam ao universo das possibilidades.Sonhar é deixa-me levar pelo simples e absolutamente possível.Viagem do tudo pode ,o mais longe que consigo alcançar com a intenção de fazer acontecer.
Tranquilidade e harmonia,um restinho de cansaço persistente.Durmo com a consciência leve ,o corpo entrega-se aos lençóis macios.A fonte dos sonhos do sono onde refugio o espírito.À noite os sonhos dormidos são céu onde crio estrelas,estico os braços e alcanço a lua.Os sonhos não se detém se estendem pela madrugada,me vestem feito luvas.A segunda pele feita de nuvens e anjinhos balançando os pés na meia ogiva da lua crescente, um fragmento no imenso e profundo escuro.
Os detalhes falseados que surgem verdadeiros,a libertadora e possível esperança;a convulsão
de abismos,voos sem asas,vagas imensas,que me engolfam,solidão em espaços ermos,escadas infinitas,torturas ébrias em velocidade absurda.
Aprecio os sonhos pela manhã,tento reter o filme daquela noite,ás vezes anoto,ás vezes me esqueço.Tudo acontece enquanto os olhos teimam em não acordar,quando quero prolongar o estado acolchoado onde a alma recosta-se longa e lânguida.
Não existe caminhos de ida e volta,espaços vagos,imagens que vejo de coisas e fatos que não vejo.Visões e imaginações que passam pela minha cabeça,fugas em imagens líquidas que escorrem para um poço escuro ou um lago límpido e sereno onde se acalmam.
A natureza leve e diluída dos sonhos,o efeito de luminosidade e porosidade surreal das coisas que passam e tornam a realidade apagada.,espectadora de um mundo fugaz.,atemporal onde convivem fantasmas vivos e mortos,afetos,presenças impalpáveis contudo reais.Sem contorno surgem os sinais onde se assenta o universo dos fatos,coisas,pessoas,expressões.Sonhos são vazios para alcançar a impressão de amplidão,sem clausura visual expandem ao infinito a mitologia viva em que se estrutura meu ser.A atmosfera que se recria em olor,texturas,formas inesperadas e pressentidas.A incomum gama de sensações que me tocam a ponto de rir,sorrir,chorar,beijar a sós o travesseiro.Tudo se mostra atrás da gaze onírica..Sonho me faz sentida .Sentida de sonhar.

45 comentários:

Adolfo Payés disse...

Los sueños.. que bellos son una esperanza en la vida..

Un agrado pasar por tu blog..

Un abrazo
Saludos fraternos..

Que disfrutes del fin de semana...

Flavio Ferrari disse...

Que viagem ... o que foi que você andou fumando ?

Mirze Souza disse...

"Eu, a massa dessa matéria"

Bela imagem poética, onde o sonho é matéria viva, em que a poeta se apoa e forma um duo.

Os sonhos que os ventos levam e não lembramos, voltam às vezes no momento oportuno. Marcas profundas deixam esses sonhos. Ora leves, ora nem tanto.

Sonhar acordada também é bom, mas o melhor sonho é este que o poema descreve: entre o sono e o despertar há uma espécie de limbo ou vácuo precioso.

Belo, Cristina!

Beijos

Mirze

Sílc disse...

Cristina,
Coisa boa é poder entrar numa Casa e ser recebida com músicas tão lindas no idioma que considero o mais belo. Estou aqui através da Nydia Querida. Lindíssima Casa que espero poder voltar sempre.
Áchei lindo o final do seu Poema. Fiquei imaginando anos 50 mãos lindas de uma Mulher com àqueles espelhos (que só existiam em fimes) nas mãos dessa Mulher a sonhar e acreditar nos mesmos. Por que será que quanto mais maduros ficamos menos acreditamos nos sonhos? (só os dos filmes dão certo?)Sou Sílvia, uma aprendiz ainda naném. Se desejar, por favor, pode ir passear lá na minha Casa e até deixar um retalho que ficarei muito feliz mesmo!
Com profundo respeito,
Sílvia
http://www.silviacostardi.com/

Ira Buscacio disse...

Cris, saudade de'ôce menina!

Vc veio com a corda toda, ou melhor, com todos os sonhos.
Td perfeito

Sonhos! sem eles resta-nos ossos.

Bjinhos, minha queridona.

Marcelo Novaes disse...

Cris,


há o poema [muito bom], e há uma explanação pessoal sobre os sonhos. Muitas vezes vc põe um texto e uma explanação [um livre pensar] sobre o texto/ tema.

" a mitologia viva em que se estrutura meu ser.A atmosfera que se recria em olor,texturas,formas inesperadas e pressentidas"


Bom esse pre-sentidas, inclusive com o sentido de "provavelmente percebidas subliminarmente, embora inesperadas." Sua explanação acompanha a boa feitura do poema.



:)







Um beijo.

Sonhadora disse...

Minha querida
Um belo texto...eleva-nos nas nuvens desse sonho.
Adorei.

Beijinhos
Sonhadora

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Cris, bela fotografia de sonho...belo texto...belo sonho...Espectacular....
Somos o material
De que os sonhos são feitos, e a nossa pequena vida
Está rodeada de sonho…
William Shakespeare

Cumprimentos

M.PAUMARCH disse...

Cristina, de tant en tant entro en el teu bloc. Ets creativa, somiadora i molt prolífica.
Pababéns!

Um abraço catalâo.

Salvador.

Anônimo disse...

Ola minha amiga, muito lindo, me faz lembrar o obrir de uma certa janela........bjs..saudades do c...Va

A.S. disse...

Cristina,

Na intensidade das vertigens
que nos levam até ao sonho,
rompemos a rigidez do tempo,
atravessamos os anos,
os séculos, os segundos,
com a serenidade de um crepúsculo
onde o desejo começa.

Cegam-nos luzes indecifráveis
no crepitar de suspiros surdos,
enquanto os olhos guardam para si
o enigma que nos une, no tempo e no sonho,
na clandestinidade
de uma madrugada sem fronteiras!


(Do meu livro "Madrugada sem Fronteiras")

Adorei o teu poema e o texto que o acompanha!!!

BjO´ss
AL

Marcos Dhotta disse...

Caríssima,

Mesmo que eu passe meses e meses sem aqui retornar, a EMOÇÃO é sempre primeira. Passear por cá continua sendo um TESÃO! De cara, poesia e músicas invadem noss'alma e estraçalha qualquer pensamento menos nobre. Às favas as cicatrizes de desejos contidos, hehehehehehehe. Obrigado minha linda!

Everson Russo disse...

Um sabado cheio de carinho e paz pra ti querida,,,muitos beijos no coração

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Concordo! Sinta-se abraçada, querida! e um beijinho do tamanho do infinito8888888888888

"Teus olhos são meus livros.
Que livro há aí melhor,
Em que melhor se leia
A página do amor?

Flores me são teus lábios.
Onde há mais bela flor,
Em que melhor se beba
O bálsamo do amor?"
*Livros e flores*
Machado de Assis

Muito obrigada por visitar a Galeria!
Tenha um Lindo Dia, Cris!
Renata

lino disse...

O que seria de nós sem sonhos?
Beijos

Batom e poesias disse...

Um sopro no poema e um vendaval na prosa...

Estava com saudades.

bjs, querida.
Rossana

cirandeira disse...

Cris(ântemo!)que bom que reapareceste!, envolta em brumas que re-alimentam nosso sonhar...!
Estou começando a entender o porquê
de tuas "ausências": tens flutuado
em outras ondas, outras galáxias(risos), quiçá outras luas!
Estás tão leve, que conseguiste levar-me para outros hemisférios...

Um abraço carinhoso e
UM ÓTIMO DOMINGO!!!!

Livinha disse...

Bela viagem de sonhos Cristina,
algo cujas impressões, de haver vivido antes...
Coisas que já vivemos, nada casuais...

Lindo poema, lindo texto

Bjs

Livinha

Livinha disse...

Bela viagem de sonhos Cristina,
algo cujas impressões, de haver vivido antes...
Coisas que já vivemos, nada casuais...

Lindo poema, lindo texto

Bjs

Livinha

sueli aduan disse...

Belíssimo!Impossível só uma leitura, A-DO-REI!!!
PARABÉNS, MINHA QUERIDA.

BEIJOS

Estela disse...

Oi Cris,
Lindo este teu sonho!
Linda esta foto!

"...o corpo entrega-se aos lençóis macios.A fonte dos sonhos do sono onde refugio o espírito.À noite os sonhos dormidos são céu onde crio estrelas,estico os braços e alcanço a lua"


Ah! Os sonhos são como recordações
que correm serenas, brancas e livres como nuvens ao vento... como pássaros rumo ao infinito.

Bjs.

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Muito bacana, Cris. Legal estar aqui no seu campeão de audiência. Um beijo e bom domingo.

Anônimo disse...

olá querida querubim, esse poema é total sedução, como se faz necessario sonhar você promete que o sonho não acabou......., da amiga Cristininha, doravante Téra.

Barbara disse...

"A gaze onírica..."
Sonhos- brocado, tecido de valor.

a magia da noite disse...

às vezes é no sonho que nos fazemos reais.

UIFPW08 disse...

Olá Cris, beko texto...Espectacular....
Cumprimentos.
Morris

Vanuza Pantaleão disse...

Bom dia, amiga!
Que saudadeeeeeee

Sonhos são flores que preenchem o jardim das nossas almas.

Sonhar é estar em Paz!
Sonhar é estar vivo!!!Bjssss
Te adoro!!!

marcelo dalla disse...

Amiga!!! Que coisa mais linda, que bom te ver tão inspirada assim...
Tô morrendo de vontade de te ver de novo, colocar o papo em dia!!!
grande bjo!!!

Edson Bueno de Camargo disse...

A vida é sonho,

Calderon de la Barca

Jorge Sader Filho disse...

Cristina nos leva ao fascinante mundo dos sonhos, onde tudo pode acontecer.
Bela tacada, Cris!

Beijos,
Jorge

José Carlos Brandão disse...

O poema é um espelho onde o poeta se mira - e os outros miram o poeta. Os outros, que miram at´pe os sonhos do poeta - que sonha no poema.
Um abraço amigo.

Dual disse...

Un saluto ed un sorriso per te..
Gio'

Graça Pires disse...

Um poema e uma prosa poética muito bons. Sempre um sonho nos arrasta...
Um beijo.

Mari Amorim disse...

Cristina,
sou seguidora da Sacerdotisa,gostei muito daqui,obrigada pela visita.
Boas energias,
Mari

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Que bonito
que tecido sonhado
que vontade de sentir
sentida
e sonhada

adorei Cristina

Veiga disse...

Adoro a tua escrita, revela uma sensibilidade ímpar, é sempre bom ler-te, pois isso dá prazer e conhecimento e realmente o prazer é mais intenso quando se preenche para lá de si mesmo.
OBRIGAdo por partilhares esses teus pensamentos esobre a forma de textos, a lingua portuguesa enaltece-se com pessoas como tu mas melhor que isso é bom sentirmos que a língua presta-se para exponenciamentos de inteligência.
_Beijos

Vanilda Fiuza disse...

Querida Cris...
Sempre que visito esta linda página, leio e releio tua escrita por mais duas vezes.
Fico inebriada pela forma como expõe teus pensamentos...
Bjokinhas ♥

Marcelo Pirajá Sguassábia disse...

Este seu campeão de audiência está cada vez melhor. Parabéns por este e pelos tantos outros textos. Um beijo pra você.

sinfonia disse...

Minha amiga já regressei de férias
e quero agradecer a sua visita ao
meu blogue e o comentário que deixou.
Espero/desejo que esteja bem.
Beijinho/Irene

Anônimo disse...

Lindos textos e poemas, parabéns pelas escolhas. Apreciaria muito que me visitasses em meu blo pra me ler tb.
http://www.estrelafeminina3.zip.net

Beijos,

estrela

M.PAUMARCH disse...

Hola, Cristina. Passo a saludar-te...
Tudo bem?
Gràcies per mantenir tres obres meves en el teu bloc.
Si véns a visitar-me trobaràs moltes més coses noves que potser podràs "postar" i recanviar.

Um abraço des de Catalunya.

Salvador.

Granja disse...

Os sonhos são a massa de que é feita uma alma... As suas palavras são inspiradoras, parabens. Tambem escrevo alguma poesia, se quizer dar uma vista de olhos no meu blog esteja a vontade. quemprecisadeheteronimos.blogspot.com

Mais uma vez parabens, sigo o seu blog com muito gosto

Sílc disse...

Fica aqui um convite:
Nova Postagem na minha Casa.
Espero sua visita, e um retalho se desejar. Será uma honra ve-la passear por lá.
com amor e carinho,
Sílvia
http://www.silviacostardi.com/

Eduardo Aleixo disse...

Até parece sincronicidade: tenho lido e relido poema meu sobre os sonhos, indeciso sobre se posto ou não, e venho aqui e o que leio? Sobre a realidade dos sonhos, das figuras que connosco contracenam no outro lado das cortinas, onde as almas se falam, se observam, as energias se reabastecem, os equilíbrios se refazem, sei lá o que acontece no espaço do sem tempo, sei que foi bom ler-te, aliás é sempre bom, saborear as tuas palavras diáfanas, acetinadas, doces, de quem voa com asas leves.
Bom domingo

Vitor Oliveira Jorge disse...

Pequena anotação à legenda da foto:
o meu nome é Vítor Oliveira Jorge!

Estou sobretudo no facebook, mas tamnbém aqui:
http://trans-ferir.blogspot.com