domingo, 30 de novembro de 2008

Querida Querubim-Passos da minha dança

Há um ponto na vida em que naturalmente não se perde mais tempo com as aparências ilusórias,com melancolias não essenciais,com o que se foi e se foi.
Toma corpo então em meio a trama perfeita do destino um diamante cintilante resistente como a matéria dos cristais e de beleza única.E no corte veloz do tempo a vida se torna lapidada , transparente, um brilhante.
Ecos da minha história.
Passos da minha dança.
Pendi para uma vida livre,envolta por uma nuvem de mistério e fascínio,própria dos que se movimentam navegando noites e dias por ladeiras vertiginosas,céus escuros de tempestade,lugares provisórios,partidas e longos retornos.A todo dia a vida inteira recomeçando sem parar.Sempre nova,deslumbrante,perigosa. Uma aventura.
Dias sem espera,vazios como se fossem novos.Tudo por viver.Sempre eu mesma em outros lugares,países,companhia,versos.
As infinitas dimensões que se desdobram em duração ilógica.A vida palpita dentro e fora de mim,na frente e atrás do espelho.Portais de luz e sombras.
E sou assim às vezes tomada de encantos,cheia de graça,vital, por outras vezes, reclusa em meus fins,depressiva e sem alento.Mergulho na introspecção onde aqueço com palavras o meu coração frio.
Em altos e baixos vibro esta grande e profunda paixão que me acorda a voltar a vida quando o amor acaba e me instiga a me apaixonar de novo.
É isso,penso assim,o amor nos tempos de hoje acaba dá-se ao fim mas a paixão de viver esta não se perde nunca e me lembro da cena final do filme Don Juan de Marco quando o insuperável Marlon Brando ,um senhor,toma nos braços Faye Dunaway,uma senhora de elegância flutuante e, apaixonados,se entregam com leveza a dança.
Passam os amores que me deixaram com a compreensão do mundo,o querer bem,a lealdade,tudo que é próprio das histórias de amor verdadeiras.
E passam ...e passam...e passam...
E todos os dias ao ultrapassar a soleira da porta que dá para a rua encontro-me em um mundo diferente de infinitas e surpreendentes novidades.
E vou...
Para viver dependo só de um caminho .A história não tem um fim e o futuro cada vez mais livre,amoroso,apaixonante.

5 comentários:

Anônimo disse...

Olá Cris! Como sempre, adorei o lindo texto. Achei-o "sóbrio", sério...
Parece-me que foi escrito numa noite fria de Inverno, quando temos mt tempo para pensar... Está muito diferente daqueles textos de "Verão", cheios de cor, de luz e alegria....
Que se passa com a "Querida Querubim"?

Lu_Russa disse...

Amei conhecer esse blog de uma conterranea.

Eu também escrevo muito, mas nao poesia.

Viajo e escrevo. Assim é meu blog.

abracos

Luciana
www.garotinharuiva.blogger.com.br

Fernanda Machado disse...

Cris,
Amei...Seu blog tá muito gostoso de ler faz agente viajar, sonhar, amar...Você é realmente especial e abençoada com esse dom de escrever, no meio de tanta turbulência poder passar um tempo desfrutando desse pedacinho tão especial é muito bom....
Sou sua fã...Adoro sua história de vida e de coragem.
Um grande beijo
Fernanda Machado

UIFPW08 disse...

Saudações Feliz Natal e um feliz 2009!
que a felicidade esteja com você
Morris

Léo disse...

A Relexão da Querubim. Ora ela é ilógica, infantil, despretenciosa... ora ela é vontade, loucura, paixão.

A pausa para a relexão humaniza a personagem que não deixa de ter um pé aqui e outro lá.

Cada vez mais eu me convenço que não há uma mulher deste tipo. Com tantos conflitos ideológicos sobre ela mesma. Ora é criança, ora é adulta.

E é esse conflito que a leva a relexão. É a mulher perfeita. Não existe.

Direto do Rio.
Beijão moça.