segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Querida querubim-Amar é o que amplia meu mapa humano

Nem sempre compreendo o que faço.Torno-me outra quando leio meus escritos.Leitora ,tomada pelos próprios devaneios e realidades como se esta vida que escrevo não me pertencesse.
Debruçada sobre o papel,papiro da minha alma,relação estreita com o plexo que gera palavras .A barriga aconchego do espírito antes do dar-se à luz em partos em que me desdobro em infinitas outras,todas mulheres.Fantásticas querubins ,escritoras,artistas,resolutas guerreiras,dóceis pacifistas.Aprofundo o olhar sobre a vida e nas perguntas sem respostas.E contudo tudo é tão claro.O poder de deter este tempo,aprisioná-lo em brochuras e brochuras e conservá-lo fixo a espera de que alguém ao lê-lo o transforme magicamente em movimento.Dar o poder ao leitor de viver a fatia do tempo recortado da minha vida.O toque dos olhos do leitor não me pertence e nem o espero mas este acontecer é o que tornará vivo novamente este declarar que encerro aqui.O movimento das palavras,do fazer desse jeito é imortal.A força que percebo quando me extasio na leitura de meus gestos inconclusivos.Na vida sempre fica um bocadinho para se viver amanhã.A cada dia a vida pede um tempo.Se vive a véspera.
O mundo é primitivo,civilizado, instigante,surpreendente trilho o caminho da aventura para me sentir livre,independente.Esta rota para mim é segura,antiga conhecida,rumo do acaso e da sorte.Conexões estreitíssima com a natureza que contemplo,com o cão companheiro fidelíssimo, plateia do dormir e do acordar.Os livros que me aguardam na estante,os jornais diários,as pesquisas que me lotam em conhecimento,os contactos virtuais.Escrevo e vivo.Tudo junto,tudo agora.Eu e eu o tempo todo sem me cansar de mim,pelo contrário adoro a paz da minha companhia.Sem solidão.Disponível ao bom ,ao bem a tranquilidade e a criação.
Os semelhantes,estes seres ricos em seus universos particulares,estas almas transbordantes em singularidades.
As aproximações formam uma família estreita,explosiva em elos luminosos do valor de cada um,são como fogos de artifício que espocam cintilações na noite escura e concorrem em brilho com as estrelas,são os amigos,as pessoas afins,minha família amada.
Nem sei o que sei e pouco me interessa quando disparo com a esferográfica preta só Deus sabe o que não sei.
A vida,o encontro com o improvável,quem sabe amanhã amarei novamente alguém de um outro jeito,com novos encantos.Que tola sou,é claro que amarei.Amar é o que amplia meu mapa humano,o incentivo,o sentido.
A interpretação aberta onde tudo pode na realidade articulada que crio para viver.Tenho esta virtude de criar e fazer valer o que admiro e acredito.
Reflito com compaixão sobre a realidade das pessoas,a doçura ou o fel do alimento espiritual,a leitura piedosa do outro me presenteia com serenidade,coragem,estímulo para seguir em frente.
Estar acima da mera representação do que é real.Atenta,presente,armada para o escape das incertezas.
Estar acima mas sem a noção do espaço determinado.Acima como condição de voo e assim mergulho é também estar acima também é voo.
Coleciono instantes,a balburdia inconclusiva da vida arteira.Tomada pela paixão do fazer artístico da literatura artesanal me dedico a organização do caos e tornar visível o imponderável em para sempre.
A vida é para sempre.
E me surpreendo escrevendo assim com esta capacidade imortal e transcendente.Meu território flutuante,instável,líquido , água.
Bebo dessa fonte e saboreio a minha fatia de vida autonoma,a sintonia com quem realmente sou.
O tempo passa quando eu não olho para ele.
Os escritos serão diferentes quando eu os ler daqui a cinco,dez,vinte anos.E muito terá se passado.Mas o que importa é para onde eu estou me dirigindo agora.O único domínio é o da minha consciência.Trago a vida para o centro do coração a medida em que vou me
recolhendo,encolhendo no exercício de me recriar.Os primeiros exercícios da transformação em andamento,arrumo a casa e as lembranças importantes..Quero tudo ao mesmo tempo .Tanto há a ser feito.

30 comentários:

antonior disse...

Quem cria e recria sempre se desdobra e se multiplica, sendo agora um num fragmento do espelho em que se olha e já a seguir outro. Como um actor com diversos papéis, mas sem representar a personagem, antes sendo, de verdade, a personagem.

Gostei deste espaço e voltarei, em breve.

No "Canto da Fénix" deixei uma resposta ao seu comentário ao meu penúltimo post na própria página em que o fez.

Até breve

MARTHA THORMAN VON MADERS disse...

Perfeito este lugar.
Um bom lugar para se ficar.
Uma feliz semana.

Noslen ed azuos disse...

Antes era vc, agora, nós, de minhas fotos seus olhos, de suas palavras os meus, olhos que olharam almas, almas expansivas.

bjs
ns

Batom e poesias disse...

Você é puro amor, Cris.

Lindo esse texto e tudo o mais que eu disser vai parecer miúdo e insignificante, então uso tuas própria palavras para dizer o quanto compreendo:

"Reflito com compaixão sobre a realidade das pessoas,a doçura ou o fel do alimento espiritual,a leitura piedosa do outro me presenteia com serenidade,coragem,estímulo para seguir em frente."

Beijos na alma
Rossana

Estela disse...

“Na vida sempre fica um bocadinho para se viver amanhã. A cada dia a vida pede um tempo................
....O poder de deter este tempo, aprisioná-lo em brochuras e brochuras e conservá-lo fixo a espera de que alguém ao lê-lo o transforme magicamente em movimento..........................
Bebo dessa fonte e saboreio a minha fatia de vida autônoma, a sintonia com quem realmente sou.
...................................
Trago a vida para o centro do coração a medida em que vou me recolhendo,encolhendo no exercício de me recriar”


Olá Cris, você é maravilhosa nesse ato de recriar e se recriar.
Bjs.

Vanilda Fiuza disse...

Querida querubim

O plexo que gera com dores de parto o que está na alma, traz á realidade outras, todas mulheres fantásticas que vivem através de você.
Você escreve na paz de sua companhia, por isso reflete compaixão e doçura, com capacidade imortal e transcendente.
Bjos encantado.

Cristiana Fonseca disse...

Olá Cristina,
"Bebo dessa fonte e saboreio a minha fatia de vida autonoma,a sintonia com quem realmente sou."
Belíssimo texto, Querida querubim é indiscritivel , é apaixonante.
Deixo minhas desculpas pela ausência.
Beijos,
Cris

Cultura Malcriada - disse...

Olá Cris!

A criação, sem dúvida, é um processo maravilhoso, principalmente quando superamos nossas expectativas.

Bjão!

Fabiana Schreiner disse...

Querida Cris, minha nova amiga blogueira, adorei os seus blogs. Pura magia e emoção. Ganhou uma seguidora, pois quero estar por dentro de todos os seus posts maravilhosos que brindam nossos dias com poesia e ternura.
Um grande beijo pra ti!!!!
www.muitobonita.blogspot.com
Faby Schreiner

intimidades disse...

lindo

adorei o teu blog


Jokas

Paula

Pedro Luso de Carvalho disse...

Cris,

Muito bonito o que acabei de ler nesta postagem. Sobra-te sensibilidade, e dizes as coisas com arte.

Abraços

Poeta Mauro Rocha disse...

Ola!! Obrigado pela visita, desculpa estar nesse momento sem tempo, mas farei de tudo para ler e com certeza vou gostar desse exercício que nos recria e nos faz imaginar, refiro-me a seu texto que é muito interessante e reflexivo.

BJS

EVELIZE SALGADO disse...

"Trago a vida para o centro do coração a medida em que vou me recolhendo,encolhendo no exercício de me recriar."

Lindo, perfeito!!!!

"TANTO HÁ A SER FEITO!"

E tanto já fizemos, e muito já fizeste! O amor transborda,transcende e te acende em LUZ.

Parabéns!!!!!

Aqui também,gratidão é a palavra.

Beijos com meu carinho.

Clea Pinheiro disse...

"Amar, é o que amplia meu mapa humano" adorei essa frase e essa consciência de expansão através do sentimento de amor... adorei!
Abraços com carinho, amiga.

Flavio Ferrari disse...

Primeiro, há que ir ao encontro do silêncio ...

Barbara disse...

Tem uma coragem implícita nessa postagem.
Uma mulher e tanto, você!

C NARCISO disse...

Olá Grande Poetisa! Como sabe, tenho acompanhado, na sombra, as doces aventuras da Querida Querubim. É sempre um enorme prazer ler as suas palavras a descrever o que de mais lindo e puro vai na alma da Querida Querubim. Sou incapaz de traçar umas linhas para comentar os seus "posts"; seria até muita arrogância da minha parte tentar fazê-lo...
Continuarei por aqui, á sombra ou não, à espera das suas doces linhas. Quero saber o que se seguirá na vida da personagem...
Até mais..
Com carinho.
CN

Marcelo Novaes disse...

Oi, Cris.



Que voraz, hein?!




;)






Beijos,







Marcelo.

Mariana disse...

Gostei muito de visitar o teu blog.Adorei o que encontrei nos posts.
Foi um prazer visitar-te.
Desejo um linda semana, iluminada e produtiva.

VANUZA PANTALEÃO disse...

Oi, Cris!
Essa premência, essa pressa em sorver a vida e as emoções de um só gole. Isso e muito mais me encanta em ti, no que dizes e até no que vislumbramos fora da palavra escrita.
Obrigada pelo convite, minha querida! Quem sabe, um dia, nossos destinos possam se cruzar nessa terra sagrada e vermelha de Tatuí.
Te adoro!!!

Léo Metallica disse...

Cheguei. rsrs... Agora estou em pé de igualdade para com os demais postantes.

Eu diria que muito se mudou nos textos desde que eu os acompanhei desde o início. Antes eu via uma Querubim e destemida da vida, ousada e sem responsabilidades aparente. Hoje o que eu vejo são traços de sua personalidade intrínsica e subjetiva. Ela volta-se para dentro de seu âmago a fim de tentar se convencer de que a vida pela qual passou não é nada se comparado ao que há para viver.

Chego a notar um saudosísmo melancólico nas suas palavras, Alguma provação da qual a Querubim precisa passar.

Eu te digo que não tem provação nenhuma. Larga-se das incertezas que permeiam tua cabeça e viva intensamente como há 10, 20 anos atrás... pois daqui há 10, 20 anos para a frente esse hiato de incerteza tornará um incômodo remorso de incertezas em uma vida tão cheia e bela.

Quantas Querubins por aí não queriam ter vivenciado tão solene e soberbo desfruto de prazer? Porque eu vejo o benefíco da dúvida em tí, Ó Querida Querubim. Não és tu mulher imortal?

Direto do Rio. Alcancei a Querida Querubim. Obrigado por me esperar. rsrs..
Léo.

HAZEL disse...

Querida Cristina,

São maravilhosos os teus textos.
Bonitos, profundos, poéticos...

Adorei!

Beijos mágicos!

cuentosbrujos disse...

hola moza, regreso a tus suaves palabras en un idioma que resulta pura musica
saludos

Stella Tavares disse...

Lindo texto, Cristina! Repleto de verdades poéticas. Quando releio o que escrevi sinto-me assim,mas nunca consegui descrever tão bem esse sentir. Parabéns pela clareza.
Bjs.

BAR DO BARDO disse...

bom texto!

tudo de bom, cris!

RAY COSMÉTICOS disse...

Olá! Venha conhecer meu blog e fazer parte dos Cheirosinhos!!!

Bj.

Silmara.

www.saboneteshidratantes.blogspot.com

Olavo disse...

Gostei...da sensibilidade da sua escrita..texto perfeito.
Beijos

tertulías disse...

A vida... o encontro com o improvável... Cristina, voce é uma artista com suas palavras... Nossa como admiro este dom! Talento!
Beijo (e obrigado pelos teus tao ricos comentários lá nas tertúlias, que parecem na frente do teu Blog, tao infantis e bibinhas... ). Obrigado mil vezes!!!!! Ricardo

Marta disse...

Porque escrever faz parte de nós...
Deixar falar a alma e o coração...
Gostei do texto e obrigada pela visita.
Eugénio de Andrade, Florbela Espanca, Sophia de Mello Breyner, alguns dos meus poetas favoritas, embora também fale sobre novos poetas.
Até já
Beijos e abraços
Marta

Helen De Rose disse...

Muito Prazer Cristina! Estou aqui conhecendo seu perfil e blog. Gostei muito do seu estilo de escrita, vejo que vc é uma buscadora como eu. Fico feliz de poder compartilhar amizade. Que meu abraço encontre o seu sorriso. Voltarei outras vezes, até mais ler...